Friday, August 11, 2006

ECOGAME


Sim sim minha querida, vai ter um lindo rapaz, forte e cheio de cor!

Friday, July 14, 2006

Bem cómica deve ser a visão que as mulheres têm de um homem enquanto ele se esforça por lhes dar prazer... oralmente.
Imaginem, tudo o que elas vêm são dois olhinhos arregalados (e os motivos para tal arregalo podem ser imensos) a despontar de um tufo mais ou menos generoso de pêlo.
É, no minimo, uma imagem cómica. Se calhar é por isso que elas passam o momento a olhar para o tecto...
Mesmo no finzinho da coisa conseguem mesmo olhar para a cabeceira da cama, naquilo que é um exercicio de contorcionismo bastante razoável.

Monday, June 19, 2006

Estamos de volta!!!



E com mais uma brilhante pérola do disparate «messengeristico».

Poesia, desta vez...


Ruivo diz:
Há tempos que não fazemos
Uns versos na brincadeira
Confesso que tenho saudades
De te dar com uma cadeira

Nas costas ou na cabeça
Ou na espinha até matar
Ai as saudades que eu tenho
De com uma cadeira te dar

Nuno diz:
és mesmo verdadeiro amigo
para sempre te vou amar
posso sempre contar contigo
para com uma cadeira nas costas levar


Ruivo diz:
Mas não contente com isso
Vou buscar um facalhão
Para te esventrar o corpo
desde a cabeça ao pulmão

Nuno diz:
tu sabes o que me faz feliz
tu sabes dar-me prazer
contigo sinto-me petiz
posso sacar-te um olho com uma colher?


Ruivo diz:
Calma que estou a pensar
Não penses que desisti
À próxima vais ficar mal
Com o verso genial
Que está pra sair daqui


Nuno diz:
isso não me choca, meu amigo
inteligência rara tens tu
espero que esse verso não saia do umbigo,
da espinal medúla ou do cu

...

Nuno diz:
começo a ficar preocupado
o último verso foi à uma hora
será que desmaiaste todo vomitado,
foste cagar, mijar ou embora?

Ruivo diz:
Com toda a inteligência
Ou só com alguma esperteza
Faço versos de excelência
Poesia é sapiência
Arte escrita concerteza!


Nuno diz:
Considero estares-te a esticar
a vaidade é coisa para tontos
se não voltas com qualidade a rimar
parece-me que começas a perder pontos


Ruivo diz:
Bons versos dão que pensar
Não saem com rapidez
Como esses que tu fazes
Que cheiram pior que gases
E demonstram estupidez!

Nuno diz:
Que desnecessária agressividade
lembra-te, és meu companheiro
é mesmo chato deve ser da idade.
Desejo que te nasça no cu um pinheiro

Thursday, April 27, 2006

Detonadores Marroquinos

Um dos bombistas dos atentados de Londres em Julho passado era Marroquino. Ou melhor, ainda é, porque não conseguiu fazer-se explodir! Isto leva-nos a crer que os detonadores marroquinos são uma merda e simplesmente não funcionam! Deixo aqui uma mensagem atodos os potenciais bombistas: -Amigo, se és Marroquino e queres explodir com sucesso, compra detonadores na Europa, estes funcionam! E ainda te oferecemos o segundo! Não é que isso te sirva de muito...

Ruivo

Friday, April 21, 2006



Ocorreu-me agora mesmo...
O post-it é a arma perfeita para se cometer suicídio.
Com alguma paciência e perseverança usa-se uma das suas arestas para cortar os pulsos, e, em caso de arrependimento, utiliza-se a sua faixa auto-colante para fechar as feridas o tempo suficiente para se chegar ao hospital mais próximo.

Tuesday, April 18, 2006

Ontem soltei um gás e quase que soltava mais qualquer coisinha.
São sempre momentos memoráveis, estes.
Um misto de medo com alívio (duplamente), e finalmente de euforia.
Como andar de montanha russa, suponho...

Wednesday, March 29, 2006

CRISE DE FALTA DE ESPECIFICIDADE E RIGOR

Já repararam que há gente que sofre da doença de C.F.E.R. (Crise de Falta de Especificidade e Rigor)? É verdade, eu explico: Há muito boa gente que pura e simplesmente não sabe responder concretamente àquilo que lhe perguntamos. Por exemplo:
-Gostaste do filme?
-Mais ou menos!
-De que é que gostaste mais e de que é que gostaste menos?
-Gostei mais daquelas cenas de acção e não sei quê... Quando os gajos dão uma espécie de trolitadas ó lá ó que é... E gostei menos daquelas cenas... Quer dizer, não é gostei menos, é, não gostei tanto... Percebes? Faço-me entender mais ou menos?
-Ahhhhhhh, pois...

E a conversa dá-se por terminada mesmo antes de se ter dito alguma coisa com um significado concreto.

Outro exemplo flagrante é quando perguntamos a alguém se sabe onde fica determinado lugar:
-Boa tarde! Sabe-me dizer onde fica o Intermarché?
-Olhe, eu não tenho a certeza mas você faz assim: Quando chegar à primeira ou à segunda rotunda, vira à direita ou à esquerda, não tenho bem a certeza, depois segue em frente, vira na terceira ou na quarta à direita, acho eu, e em princípio há de ser ali.

E um gajo pergunta-se: Há de ser ali? Mas ainda não está construido?

Ou então respondem qualquer coisa do género: - Eu já soube... mas agora varreu-se-me...
Neste casos um gajo responde: -Ok amigo! Não há problema. Eu tenho uma máquina do tempo e volto a este mesmo sítio vinte anos mais cedo num Fiat 127 velhinho e o senhor dá-me as indicações, pode ser?

Sinceramente, os laboratórios farmacêuticos deviam preocupar-se em estudar uma cura para as pessoas que sofrem deste problema. Deixo aqui uma sugestão: Inventem um comprimido 100% Especificidade e Rigor. Assim, quem o tomar terá respostas muito mais específicas e rigorosas para dar. Por exemplo:

-Boa tarde amigo! O Intermarché ainda é muito longe?
-Nem é longe nem é perto! Fica precisamente a 1756 metros daqui!
-Hummm, e acha que demora muito se eu for a pé?
-Bom! Com passadas de 1 metro cada cuja duração seja de 2 segundos, você demora precisamente 3512 segundos, ou seja, 58,53 minutos.

E assim teriamos um mundo perfeito onde o rigor e a especificidade andariam de mão dadas. Específica e rigorosamente!

Ruivo

Há dias, enquanto conduzia de caminho para casa, reparei num determinado cartaz, colado numa parede numa rua do Porto.
O cartaz tinha como objectivo sensibilizar-nos a limpar o cocó que o nosso cãozinho faz, sempre que por nós é passeado.

O slogan dizia qualquer coisa do género "não deixe nas nossas ruas o que é só do seu cão".
Ok, eu até concordo com tudo isto, mas depois de ler um slogan destes o que é que é suposto eu fazer?
Depois do cão cagar devo meter aquela merda toda lá para dentro outra vez!?